Storyboard

O Storyboard, quando utilizado para o desenvolvimento de algum material de aprendizagem, pode ser muito útil, pois pode ser utilizado no desenvolvimento de algumas atividades de animação. Deve ser utilizado para compartilhar informações com a equipe de produção, demonstrando onde todos os botões devem ficar e serem expostos na tela. Ao utilizar esta ferramenta, o Designer Instrucional pode discutir com os envolvidos qual seria a melhor forma de navegação dentro do Ambiente Virtual de Aprendizagem. O storyboard é uma ferramenta importante na Educação a Distância. Como citado por Carvalho (2008), “o professor assume o papel de roteirista e diretor do filme”. Dessa forma, por meio dos storyboards, o Designer Instrucional consegue expressar sua visão e, consequentemente, permite discutir com os envolvidos (cliente, ilustradores, programadores etc.) o projeto que está sendo desenvolvido.

O storyboard tem como função orientar e demonstrar de forma visual, como o conteúdo do curso estará disposto em telas, formatando alguns padrões para o curso. O storyboard também pode ser utilizado por um Designer no desenvolvimento de games, especialmente com a ferramenta Flash, para a criação de personagens e botões que aparecerão nas telas. Pode ser utilizado no desenvolvimento de jogos educativos, demonstrando como cada personagem irá interagir com o aluno. Segundo Filatro e Piconez (2004), essa estrutura denomina-se design aberto (ou contextualizado). O projeto instrucional é refinado durante o processo de aprendizagem, com as atividades sendo criadas ou modificadas até mesmo durante a execução da ação educativa. Com isso, tem-se algo que mais se aproxima da natureza flexível e dinâmica da aprendizagem e fruto de interações. Ou seja, a estrutura de design aberto é usada nos cursos com mediação, como é o caso do curso de Design Instrucional da UNIFEI.

O storyboard de navegação pode ser utilizado em estrutura linear, hierárquica, não linear e/ou composta.

Um projeto de Design Instrucional bem elaborado deve ser monitorado constantemente pelo designer e equipe envolvida. O cronograma de atividades deve ser acompanhado para a implementação das atividades dentro do prazo. É de responsabilidade do Designer demonstrar para toda a equipe como viabilizar os cursos, equilibrando o seu conhecimento tecnológico com as ferramentas didáticas disponíveis. Outra preocupação do DI é demonstrar à equipe como viabilizar um curso EaD para tornar o projeto economicamente viável. O material, a equipe e os recursos financeiros devem ser avaliados durante todo o processo para que o curso não extrapole o custo de viabilidade nem o tempo previamente acordado

Deixe aqui o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.