Jovem de origem humilde passa para medicina em 4 universidades públicas

[vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default”][vc_column_text]

Jovem de origem humilde passa para medicina em 4 universidades públicas

Francisco Special Júnior, de 19 anos, conta que estudou 15 horas por dia.
Estudante disse que vai cursar medicina na Unicamp, em São Paulo.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default”][vc_column_text]

Jovem de origem humilde passa para medicina em 4 universidades públicas

Francisco Special Júnior, de 19 anos, conta que estudou 15 horas por dia.
Estudante disse que vai cursar medicina na Unicamp, em São Paulo.

O aluno foi aprovado na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal do Paraná (UFPR) e na Universidade Federal de Campinas (Unicamp).

[/vc_column_text][vc_column_text]Durante dois desses anos de estudo o rapaz estudou em Tangará da Serra e, por um ano se dedicou aos estudos em Curitiba (PR). Na capital paranaense, chegava a ficar 15 horas diárias estudando.

“Eu vivia para estudar, chegava cedo e ia embora do cursinho a noite. Quando eu chegava em casa estudava mais um pouco”, contou Francisco.

O estudante disse que escolheu a Unicamp para estudar medicina. Lá, ele concorreu com 250 candidatos para uma vaga. “Lá conta muito a pesquisa, e eu amo pesquisar, principalmente na área da saúde”, justificou.

Em Tangará da Serra, Francisco ajudava a família na plantação de frutas e legumes. O pai Francisco Specian, contou estar contente com a conquista do filho. “Ficamos muito felizes por ele ter passado, já concluiu uma etapa do sonho dele que também é o nosso, queremos ver nosso filho formado”, explicou.

A avó de Francisco, Luzia Specian, disse que está contente pelo neto e que sempre acreditou no potencial dele. “A gente fica feliz, pois ele tinha vontade de fazer essas provas. Se ele se tornar um médico ele ajuda a população em geral”, falou.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row type=”in_container” full_screen_row_position=”middle” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left” overlay_strength=”0.3″][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ width=”1/1″ tablet_text_alignment=”default” phone_text_alignment=”default”][vc_column_text]Fonte: http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2017/02/jovem-de-origem-humilde-passa-para-medicina-em-4-universidades-publicas.html?utm_source=facebook&utm_medium=share-bar-desktop&utm_campaign=share-bar[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.